08/05/2021

Notícia/Campo Belo

Campo Belo continua na Onda Roxa? Confira!

Região completará um mês na fase mais restritiva. Decisão tomada pelo Comitê Extraordinário Covid-19, durante reunião nesta quinta-feira (15), é impositiva e sobrepõe as regras determinadas pelas prefeituras.

Perto de completar um mês na Onda Roxa do "Minas Consciente", a macrorregião Oeste continuará na fase mais restritiva por mais uma semana a partir de sábado (17). A decisão foi tomada pelo Comitê Extraordinário Covid-19 durante reunião nesta quinta-feira (15). Algumas regiões avançaram para a Onda Vermelha e outras continuarão na Roxa, que é impositiva e sobrepõe as regras determinadas pelas prefeituras.

O Comitê definiu ainda duas revisões na Deliberação 130, que regulamenta o "Minas Consciente"; saiba mais abaixo.

Por determinação do Estado, a macrorregião Oeste entrou na Onda Roxa no dia 17 de março. Contudo, em reunião no dia 13 de março, em Divinópolis, o colegiado de prefeitos da macrorregião Oeste definiu pela inserção dos municípios na Onda Roxa do "Minas Consciente" a partir do dia seguinte.

“Obtivemos melhorias de indicadores, o que possibilitou as decisões técnicas por parte da Secretaria de Saúde. Mas é preciso lembrar que estamos longe de ter conforto. Ainda temos um sistema hospitalar sobrecarregado, os profissionais de Saúde estão cansados e as vagas são poucas. Por isso precisamos tomar todos os cuidados para evitar a transmissão do vírus. Dobramos o número de leitos de UTI e de enfermaria em Minas Gerais, mas o aumento de casos nessa segunda onda exige toda cautela", afirma o governador Romeu Zema.

Conforme o Estado, Minas Gerais registrou aumento de 4,01% no número de casos e 6,81% nos óbitos na última semana. Por isso, o avanço de fase foi permitido apenas nas regiões que apresentaram melhores resultados na incidência da doença e também na ocupação dos leitos. A positividade da Covid-19 está em 44% em todo o Estado.

Evolução da Onda Roxa — Foto: Governo de MG/Divulgação

Evolução da Onda Roxa — Foto: Governo de MG/Divulgação

O secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, explicou que a incidência da doença em algumas macrorregiões segue alta e que, por isso, a necessidade de manutenção da Onda Roxa em parte do estado.

“Em algumas regiões qualquer variação no número de casos pressiona o sistema de Saúde. Mas a progressão decidida pelo Comitê leva em consideração a chegada de medicamentos (sedativos do kit intubação), o que nos dá uma melhor perspectiva no atendimento. E, pela primeira vez em um mês, temos macrorregiões com leitos vagos, o que permitirá a movimentação de pacientes”, afirmou Fábio.

 

Vacinação

 

Para o secretário, houve impacto da vacina nos óbitos dos idosos em Minas. Ele aponta que as mortes vêm diminuindo nos grupos que receberam mais doses do imunizante, especialmente nos idosos acima de 80 anos.

“Antes o óbito chegava a 8% nos grupos de mais idade e agora está em 3%. Em maio nossa expectativa que é que a média de internação e óbito do grupo mais vulnerável caia ainda mais”, aponta Baccheretti.

 

Mudanças na deliberação

 

Os jogos de futebol nas macrorregiões que estão na Onda Roxa estão suspensos. A decisão do Comitê atende a um pedido do Ministério Público do Trabalho, em conjunto com o Ministério Público de Minas, Ministério Público Federal e Defensoria Pública da União.

A segunda mudança reforça a proibição de consumo interno nos estabelecimentos comerciais, como lanchonetes e padarias, “priorizando o funcionamento interno e a prestação dos serviços na modalidade remota e por entrega de produtos”.

 

Onda Roxa

 

Medidas da Onda Roxa — Foto: Governo de MG/Divulgação

Medidas da Onda Roxa — Foto: Governo de MG/Divulgação

Veja abaixo as medidas impostas pela Onda Roxa:

 

  • Fechamento do comércio não essencial
  • Suspensão de cirurgias eletivas
  • Apoio das forças de segurança
  • Restrição de circulação de pessoas (só poderão sair de casa para atividades essenciais)
  • Proibição de pessoas sem máscara em qualquer espaço
  • Proibição de circulação de pessoas com sintomas de gripe
  • Implantação de barreiras sanitárias de vigilância
  • Fechamento de bares e restaurantes (funcionamento apenas por delivery)
  • Proibição de eventos públicos e privados

 

Serviços considerados essenciais pelo Minas Consciente:

 

  • Alimentos, Agropecuária e Agroindústria (excluídos bares e restaurantes);
  • Serviços de Saúde (atendimento, indústrias, veterinárias, etc);
  • Bancos e seguros;
  • Transporte público;
  • Energia, gás, petróleo, combustíveis e derivados;
  • Manutenção de equipamentos e veículos;
  • Construção civil;
  • Indústrias (apenas da cadeia de Atividades Essenciais);
  • Lavanderias;
  • Imprensa;
  • Serviços de TI, dados, imprensa e comunicação;
  • Serviços de interesse público (água, esgoto, funerário, correios etc.).

Veja também