23/09/2020

Notícia/Colunista

Febre alta da convulsão? Saiba os mitos e verdade com a pediatra Dra. Thais Alvarenga Lopes

Quando o assunto é febre, vem junto o medo de convulsão. Mas, será que devemos mesmo ter este medo? Vamos esclarecer algumas informações então?

O que é convulsão febril?

A convulsão febril é a convulsão que ocorre durante um episódio de febre em ALGUMAS crianças entre os 6 meses e 6 anos de vida. É um evento BENIGNO, porém assustador.  Mas lembre-se, nem toda criança, mesmo com febre alta, vai convulsionar!

Por que acontece a convulsão febril?

O mecanismo exato ainda não foi totalmente esclarecido. O que se sabe é que existem fatores GENÉTICOS que predispõem para a ocorrência da convulsão febril.

Como saber que é uma convulsão febril?

Em geral, a criança apresenta contrações fortes de todo o corpo (braços e pernas) e perde a consciência. Na grande maioria das vezes, a duração da crise é bem curta, cerca de 3 minutos. Lembrando que “tremores”, “calafrios” e “pesadelos ou delírios” não são crises convulsivas.

A convulsão febril vai deixar sequelas?

Apesar de ser assustadora, é uma condição BENIGNA, ou seja não traz riscos de morte,  não vai atrapalhar a  inteligência e o desenvolvimento, não vai causar cegueira e  não vai deixar sequelas neurológicas. 

Qual a chance de acontecer de novo?

Na maioria das crianças, NÃO acontece. A chance da convulsão febril acontecer novamente é maior nas crianças que tiveram o seu primeiro episódio no primeiro ano de vida.

Existe prevenção para a convulsão febril Se eu medicar antes da febre subir funciona?

Infelizmente não. Primeiro, porque é impossível evitar que uma criança tenha febre. Medicar não vai funcionar, por que apesar de ser uma condição que ocorre durante a febre, não é a temperatura em si que provoca a crise. Ou seja, quem for ter uma crise convulsiva, pode ter com 37.5ºC ou 39ºC (tanto faz).

Concluindo: se ela tiver que ter febre, você pode dar antitérmico, banho, compressa, qualquer coisa que não irá impedir a crise convulsiva.

 

A criança com convulsão febril deve tomar remédio anticonvulsivante?

No primeiro episodio de convulsão febril não é necessário. Até porque a maioria terá somente uma crise mesmo. Nas criança que tem crises recorrentes, é indicado uma consulta com neuropediatra que irá avaliar a necessidade da medicação.

O que fazer durante a crise convulsiva febril?

1.Manter a calma.

2. Colocar a criança num local seguro.

3. Virar a cabeça ou o corpo da criança de lado para evitar a aspiração da saliva.

4. Não segurar a língua nem restringir os movimentos da criança enquanto estiver na convulsão.

5. Afrouxar as roupas que estiverem apertadas.

6. Assim que possível, levá-la ao pronto-socorro para avaliação médica.

E por ultimo: convulsão febril NÃO é epilepsia.

 

Dra. Thaís Alvarenga é Graduada em Medicina na Universidade Federal de Juiz de Fora. Com residência médica em Pediatria pelo Hospital da Polícia Militar de Belo Horizonte. Dra. Thaís realiza atendimentos pelos seguintes convênios:

  • Unimed;
  • Vitallis;
  • GeAp;
  • Cemig;
  • Associação de bairro;
  • Particulares.

Dra. Thais atende na Clínica Vitalle, localizada na Avenida Sete de Setembro, 286, Centro - Campo Belo/MG. Agende a consulta de seu filho(a) pelos telefones (35) 3605-1818 (35) 99976-8810.

 

 

 

autor

Dra. Thaís Alvarenga Lopes

Graduada em Medicina pela  na Universidade Federal de Juiz de Fora.
Com residência médica em Pediatria pelo Hospital da Polícia Militar de Belo Horizonte.

Dra. Thais atende na Clínica Vitalle, localizada na Avenida Sete de Setembro, 286, Centro - Campo Belo/MG. Agende a consulta de seu filho(a) pelos telefones (35) 3605-1818 (35) 99976-8810.

Veja também