27/09/2020

Notícia/Campo Belo

Governo de Minas adota mais medidas; casos confirmados já passam de 50

Já são 55 casos confirmados de infecção por coronavírus em Minas Gerais – 5.862 casos em investigação. A informação é do último balanço da Secretaria de Estado de Minas Gerais, divulgado neste sábado. 

Continua após a publicidade

Em comparação com o último relatório, o total de infectados subiu de 38 para 55 registros neste sábado. O salto no número de casos investigados também foi notável: 5.862 deste balanço, contra 4.193 do último levantamento. 

Comunicado do Governados Romeu Zema, confira o vídeo abaixo:

 

Clique no play e no aumentar o volume para assistir

Belo Horizonte teve um aumento de 20 para 30 casos confirmados em 24 horas.

Além da capital mineira, há registros em:  Juiz de Fora, na Zona da Mata (5); Nova Lima, na Grande BH (4); Uberlândia, no Triângulo Mineiro (3); Coronel Fabriciano, na Região Central (2); Divinópolis, na Centro-Oeste (1); Ipatinga, no Vale do Rio Doce; (1); Patrocínio, no Alto Paranaíba (1) e Sete Lagoas, na Região Central (1), Uberaba, no Triângulo Mineiro (3), Mariana, na Região Centro-Oeste (1), Poços de Caldas, no Sul de Minas (1) Entrou na lista neste sábado:  São João Del Rei, na Zona da Mata, com um caso confirmado.

Existem três perfis de transmissão da doença. Os casos importados são de pessoas que se infectaram em outro país. Estes são responsáveis pela maioria das confirmações: 31,4%.

Em 7,41% dos pacientes houve episódio de transmissão local – a identificação do caso suspeito ou confirmado em que a fonte de infecção seja conhecida ou até a 4ª geração de transmissão.

Também há  transmissão comunitária. Trata-se  da incapacidade de relacionar casos confirmados através de cadeias de transmissão para um grande número de casos ou pelo aumento de testes positivos através de amostras sentinela (testes sistemáticos de rotina de amostras respiratórias de laboratórios estabelecidos). De acordo com o boletim, 3,7% se contaminaram dessa forma. 

O Ministério da Saúde declarou, na última sexta-feira, o reconhecimento da transmissão comunitária do coronavírus em todo o território nacional.

57,41% ainda estão em investigação, de acordo com a SES.

Grupo de risco
Uma das grandes preocupações das autoridades diz respeito às pessoas infectadas que fazem parte do grupo mais vulnerável ao novo coronavírus, que se torna mais letal, sobretudo, nos idosos e pessoas com doenças crônicas ou imunodeprimidas. O boletim do governo de Minas não informa sobre o estado de saúde dos pacientes, porém, 9% dos diagnosticados com a Covid-19 têm mais de 61 anos, ou seja, estão no grupo de maior risco.

A maioria dos doentes tem entre 30 e 59, o que corresponde a 69,2% dos confirmados. 

 

Veja também