24/02/2020

Notícia/Colunista

Por Doutor Tássio Alvarenga Lopes: Luto da perda de um um ente querido!

Foto: Dr Tassio Alvarenga Lopes

"De vez em quando eu penso em ti

então minha voz se cala

meu corpo estremece

e meu coração bate desesperamente...

uma lágrima se atira a esmo no espaço

e meus olhos se perdem no infinito.

 

De vez em quando eu te sinto

acariciando o meu rosto

balançando a cabeça, teus cabelos roçando o vento

tua voz acariciando meu ser

de vez em quando eu te encontro

perdida em meus passos

indomável diante dos meus braços

distante do meu sentimento.

 

De vez em quando eu penso em ti

como uma andorinha que se foi

como um raio que se apagou

ou uma luz que se perdeu no mar

de vez em quando eu te pressinto

tão perto e tão longe

tão perto que nem posso te alcançar

tão longe que não consigo te esquecer.

 

De vez em quando eu choro

e não consigo conter minha dor

por não poder te ter

por não poder te amar

por não suportar a força que tem

o rastro de uma felicidade

de vez em quando eu te tenho junto a mim,

pois és no meu amargor

a chama de uma saudade."

Fernando Barbosa Filho

 

Fato presumido, mas dificilmente assumido, o luto vai de encontro a nossa maturidade pessoal e ao nosso conjunto íntimo de valores. De qualquer forma, o luto compreende fases ou etapas, que podem ser expressas parcial ou totalmente.

Elisabeth Kluber Rossi elaborou cinco etapas do luto:

1. Negação - Nesta fase, a pessoa não aceita a perda e não quer falar sobre a mesma.

2. Raiva - Nesta fase, a pessoa se coloca indignada com tudo e todos e se sente não merecedora da perda.

3. Barganha - Nesta fase, o indivíduo passa a propor mudanças em seu modo de pensar e agir como forma de reverter a perda.

4. Depressão - Nesta fase, a pessoa assume sua impotência frente a perda e se torna melancólico e introspectivo.

5. Aceitação - Nesta fase, o indivíduo racionaliza a perda e age de forma sábia e com resiliência frente a perda.

Não é regra que uma pessoa enlutada tenha que passar por todas estas etapas, sendo que algumas atravessam as mesmas de forma rápida e outras venham a se estagnar em uma ou outra fase.

Um luto complicado é aquele que dura mais de 6 meses e a intensidade dos sintomas de humor são proeminentes e trazem redução significativa da qualidade de vida! Os que aqui se enquadram, devem procurar ajuda psicológica!

autor

DR. TASSIO ALVARENGA LOPES

CRMMG 47.499 RQE 34.293

PSIQUIATRA COM FORMAÇÃO EM MEDICINA PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA E RESIDENCIA MEDICA EM PSIQUIATRIA PELO CENTRO HOSPITALAR PSIQUIÁTRICO DE BARBACENA DA FUNDAÇÃO HOSPITALAR DE MINAS GERAIS.

 

RUA SANTOS DUMONT, 271 CENTRO CAMPO BELO MG

3831-1224 

99906-1224

Veja também