18/08/2019

Notícia/Colunista

Por Doutor Tássio Alvarenga Lopes: Ansiedade e adolescência

Foto: Dr Tassio Alvarenga Lopes

Crescer é um processo dramático ao ser humano! Da infância até a vida adulta, passamos por modificações revolucionárias em nossa morfologia corporal, em nossa estrutura e maturidade neuronal e em nosso status endocrinológico. Somos bombardeados por um vasto e complexo conjunto de hormônios, neurotransmissores, fatores de crescimento e de maturação. É como se estivéssemos, por anos, em um tubo de ensaio, submetidos a uma gama extensa de reações químicas e sofrendo influências externas contínuas, objetivando a um único fim - formar um ser humano adulto funcional e evolutivamente adaptado.

A adolescência seria, a grosso modo, a etapa final de controle de qualidade. Nesta fase, testamos a funcionalidade geral de nosso corpo. Expressamos diversos modos de pensar e de agir até encontrarmos a fórmula final que rege cada um de nós. É racional e intuitivo que pensemos esta etapa como aquela carregada de maior teor de ansiedade em toda nossa existência. O aspecto físico parece pronto, mas ainda não dominamos completamente muitas de nossas funções motoras. Os sentimentos oscilam muito, ora estamos mais tristes, ora estamos mais alegres. Nossa visão do futuro é deficitária, uma vez que a maioria dos adolescentes não conseguem ter uma visão "farol alto" frente aos problemas cotidianos. Muitas das vezes enxergam somente o hoje, sem fazer uma avaliação ponderada dos prós e contras. Por outro lado, ao estarmos em contato com outros adolescentes, expressamos nossa sexualidade e nos vemos expostos a normas e padrões sociais de ideias e comportamentos que irão deixar marcas indeléveis em nosso psiquê.

É quase impossível não expressarmos um grau de ansiedade com tanta fato novo ocorrendo em pouco tempo. E nesta fase, como é importante a presença e atuação de pais maduros e compreensivos. O adolescente precisa de um ambiente familiar de diálogo e ser amparado e guiado em suas inseguranças. É importante que seus pais estejam presentes, reforçando bons comportamentos e reprimindo atitudes errôneas. É o momento em que, por humildade e amor, os pais se sacrificam para formar adultos sadios mentalmente. 

É preciso estar atentos a sintomas de ansiedade patológicos que podem aparecer na juventude, tais como, irritabilidade extrema, atos de autoflagelação, pensamentos de menos valia, pensamentos suicidas, manias e rituais obsessivo - compulsivos, insônia, alteração na alimentação e uso de drogas. Manter sempre um canal aberto de diálogo franco com os adolescentes é crucial para se identificar estes sintomas iniciais e descobrir causas para tais sintomas. Inquirir sempre relacionamentos amorosos conflitantes, bullying na escola, ameaças de terceiros, assédio sexual, mau uso da internet e uso de drogas como fatores desencadeantes de ansiedades reacionais disfuncionais. 

Ser adolescente é estar em um momento de ansiedade gostosa na vida! Se esta ansiedade passa a ser desprovida de prazer, é hora de procurar um psiquiatra ou psicólogo! 

autor

DR. TASSIO ALVARENGA LOPES

CRMMG 47.499 RQE 34.293

PSIQUIATRA COM FORMAÇÃO EM MEDICINA PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA E RESIDENCIA MEDICA EM PSIQUIATRIA PELO CENTRO HOSPITALAR PSIQUIÁTRICO DE BARBACENA DA FUNDAÇÃO HOSPITALAR DE MINAS GERAIS.

 

RUA SANTOS DUMONT, 271 CENTRO CAMPO BELO MG

3831-1224 

99906-1224

Veja também