23/07/2019

Notícia/Colunista

Por Doutor Tássio Alvarenga Lopes: Tempo...Tempo...Tempo!

Foto: Dr. Tassio Alvarenga Lopes

ORAÇÃO AO TEMPO (CAETANO VELOSO)

És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo

Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo
Entro num acordo contigo
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo
Quando o tempo for propício
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo, Tempo, Tempo, Tempo

O que…

 

Tirando um tempinho para dizer que quem quiser ouvir o áudio da musica acima encontra-se seguinte link - https://www.ouvirmusica.com.br/caetano-veloso/44760/

 

O tempo anda escasso para se dizer muito sobre o tempo. O interessante é que cada pessoa vive em um tempo.  O meu segundo, o meu minuto, a minha hora, enfim, o meu dia de 24 horas nunca será igual ao seu. Na mitologia grega, Cronos é o deus do tempo. Cronos é filho de urano (céu) e de gaia (terra), ou seja, Cronos domina tudo entre a terra e o céu. Nós, meros mortais, somos escravizados pelo deus Cronos, presos em prazos e datas, enjaulados sem possibilidade de fuga de nosso destino de nascer e morrer em tempos pré-determinados. Não é culpa do tempo o nosso envelhecimento. O tempo não mata ninguém, mas nos expõe aos fatores que minam nossas resistências. O tempo pode ser aliado ou vilão. O tempo pode ser curativo ou doentio. Um remédio precisa de tempo para fazer efeito. Cumprido o prazo, estaremos curados. Entediante é esperar tal tempo para o fármaco começar a ter efeito. O luto pela perda de um ente querido leva tempo e nos alivia. No entanto, como a saudade dói quando o tempo de nos reencontrarmos nunca chega. Nos negócios, quando não temos certeza de como agir, pedimos um tempo, mas quando queremos pegar um cliente desavisado forçamos um acordo em curto tempo. Para as coisas boas temos muito tempo. Para pessoas ruins não temos tempo. Ninguém gasta ou perde tempo. O tempo é que nos deixa vencer ou perder. Vivemos em um tempo em que parece que não temos tempo. O dia já não parece ter 24 horas como antes. O motivo disto advém de nossa ansiedade social. Estamos com a cabeça a mil, acelerados, ansiosos com nossas carreiras e com nossos problemas familiares. Para o ansioso o tempo nunca é suficiente. Por outro lado, para uma pessoa depressiva, o tempo passa devagar demais. 24 horas soam como 48 ou 72 horas. A profunda tristeza lentifica o pensamento e a sensação do transcorrer do tempo se congela. A noção de tempo se modifica em cada doença psiquiátrica. Interessante é o tempo do psicótico. Um paciente em surto esquizofrênico pode ter a percepção de estar vivendo em tempos os mais diversos possíveis. Pode acreditar que seu dia tem mais ou menos do que 24 horas, pode confundir tempo noturno com diurno, pode se sentir vivendo em séculos passados, enfim seu tempo é totalmente particular. Em outras palavras, o deus Cronos subjuga cada pessoa de uma forma e de um modo muito especial em cada transtorno mental. É...suspirando digo que meu tempo se acabou! aproveite seu tempo com boas pessoas e com boas intenções, pois passado, presente e futuro se confundem a todo tempo. 

autor

DR. TASSIO ALVARENGA LOPES

CRMMG 47.499 RQE 34.293

PSIQUIATRA COM FORMAÇÃO EM MEDICINA PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA E RESIDENCIA MEDICA EM PSIQUIATRIA PELO CENTRO HOSPITALAR PSIQUIÁTRICO DE BARBACENA DA FUNDAÇÃO HOSPITALAR DE MINAS GERAIS.

 

RUA SANTOS DUMONT, 271 CENTRO CAMPO BELO MG

3831-1224 

99906-1224

Veja também