18/08/2019

Notícia/Colunista

Por Doutor Tássio Alvarenga Lopes: Alisando juba de leão velho desdentado!

Foto: Dr. Tassio Alvarenga Lopes

Hoje o texto não será extenso. Quero falar sucintamente sobre um assunto que se não abordado pela geração atual teremos um "problemão" familiar, social e econômico dentro de 1/4 de século. Trata-se da enorme massa de jovens que se enquadram na definição de "geração nem-nem".11 milhões de jovens de 15 a 29 anos (um quarto) não estudam e não trabalham e vivem às custas do salário de pais e avós. Como a sociedade está envelhecendo rapidamente, estima-se que, a partir de 2035, teremos dificuldades significativas com mão de obra qualificada.

Vários fatores podem ser apontados para este fenômeno. Fala-se, principalmente, de questões relacionadas à pobreza e ao gênero. Mas, não vou me direcionar para o campo da economia propriamente dita. Quero me deter em questões psicodinâmicas. Excetuando-se os jovens depressivos, esquizofrênicos, bipolares e com fobia social importante, cuja prevalência de casos situa-se entre 5% a 7,5 % deste grupo populacional, por que quase 25 % destes jovens estão "ociosos"? Um fator pode ser citado - a atual dinâmica familiar!

Em momentos passados, a maioria dos jovens, desde cedo, tinha que aprender um oficio e se tornava arrimo de família. Hoje, muitos jovens não são inseridos na responsabilidade de se qualificarem academicamente e de aprenderem um trabalho. E a culpa, muitas das vezes, passa pela omissão dos pais. As crianças e jovens precisam ser educados a participarem das responsabilidades do lar. Precisam ser educados a entender que estudar é necessidade básica, que possuem o dever de ajudar nos afazeres de casa, que precisam contribuir com o crescimento da sociedade e que, caso não queiram estudar, precisam aprender um tipo de trabalho.

Vários pais de hoje tem incentivado a ociosidade de seus filhos. Estes não são estimulados a ajudar em casa e, quando atingem a maioridade, se preferirem não estudar e nem trabalhar, não são questionados pelos seus genitores. Os pais tem criado reis e rainhas sem reino e súditos. Alisam juba de leão velho que não sai à caça e espera em casa a carne fresca. Errado! Quantos de nós questionamos os nossos governantes, mas se alguns de nossos filhos que não estudam e nem trabalham assumissem, por exemplo, a presidência da república, teríamos orgulho deles? Conseguiriam fazer uma gestão decente? Claro que não! Precisamos mudar esta cultura o mais rápido possível. O Brasil precisa de jovens qualificados e trabalhadores e quem primeiro precisa ensiná-los a trilhar este caminho são seus pais.

autor

DR. TASSIO ALVARENGA LOPES

CRMMG 47.499 RQE 34.293

PSIQUIATRA COM FORMAÇÃO EM MEDICINA PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA E RESIDENCIA MEDICA EM PSIQUIATRIA PELO CENTRO HOSPITALAR PSIQUIÁTRICO DE BARBACENA DA FUNDAÇÃO HOSPITALAR DE MINAS GERAIS.

 

RUA SANTOS DUMONT, 271 CENTRO CAMPO BELO MG

3831-1224 

99906-1224

Veja também