21/09/2018

Notícia/Informe Publicitário

Alunos da Medicina Veterinária do Unilavras auxiliam no censitário canino em Lavras

A Vigilância em Saúde de Lavras vem realizando desde 2014 o inquérito censitário canino para identificar cães positivos para o parasito Leishmania infantum, protozoário responsável pela leishmaniose visceral canina e humana. O objetivo do inquérito é conhecer o perfil epidemiológico da doença canina no município e estabelecer medidas eficazes para o controle. Após o primeiro caso humano ser diagnosticado em janeiro de 2017 no bairro Morada do Sol II, o inquérito censitário canino, que se iniciou de forma amostral no município, cobre agora todas as residências dos bairros nos quais pacientes humanos são diagnosticados com leishmaniose visceral, conforme as medidas estabelecidas pelo Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral do Ministério da Saúde. 

  

Buscando auxiliar nos serviços prestados pela Vigilância em Saúde à comunidade lavrense, uma equipe de trabalho foi formada com alunos do primeiro ao sexto período do curso de Medicina Veterinária do UNILAVRAS, sob a coordenação do professor Thiago Pasqua Narciso, do chefe da Vigilância Ambiental Antônio Reginaldo e do chefe da Vigilância Epidemiológica e professor do UNILAVRAS Richardson Carvalho. Os alunos auxiliam os agentes de saúde na realização do teste de rápido de triagem, no preenchimento de questionários e também na busca por fatores de risco associados ao ambiente que podem favorecer a proliferação do vetor flebotomíneo, popularmente conhecido como "mosquito-palha", sempre utilizando os equipamentos de segurança obrigatórios. 

 

Através da participação em um trabalho de vigilância que possui caráter contínuo, o curso de Medicina Veterinária do UNILAVRAS estreita os laços entre a academia e a comunidade, promovendo também o contato com a prática em saúde pública para seus alunos e visando fortalecer um dos diferentes aspectos que compõem a formação completa do futuro profissional.

 

Veja também