21/10/2018

Notícia/Geral

Tire suas dúvidas sobre infecção respiratória em crianças

Participe do site Portal Campo Belo pelo whatsapp (35) 9 9707-3488

Com a queda brusca na temperatura, especialmente na madrugada e início da manhã, ficam mais frequentes as infecções virais respiratórias, ainda mais nas crianças.



Para tirar as dúvidas dos pais em relação aos problemas que surgem no outono e no inverno, a pediatra Ana Laura Kawasaka, do portal Saúde4Kids, esclarece alguns mitos e verdades.



Confira, abaixo, os esclareciemntos da médica:



Friagem causa gripe

Mito. Gripes e resfriados são causados por vírus e não pelo frio. Estudos demonstram que pessoas expostas a vírus, independente da exposição ou não ao frio, adoecem igualmente. No passado, quando esses microorganismos ainda não eram conhecidos, as pessoas associavam o aparecimento das doenças com o frio.



Crianças que frequentam escola ficam mais doentes?

Verdade.
 São dois os motivos: a imaturidade do sistema imunológico e o contato próximo com outros adultos e crianças. Por vezes, a sensação é de que a criança está eternamente doente e que não melhorou, mas, na verdade, ela pega uma infecção atrás da outra e fica difícil delimitar os períodos de melhora e piora.



Crianças alérgicas têm mais infecção?

Mito.
 Na verdade, o tempo seco, o ar frio e as roupas guardadas no armário podem desencadear processos alérgicos que simulam infecções respiratórias. É importante lembrar de lavar casacos e cobertores guardados no armário durante o verão, pois o acúmulo de poeira pode ser um grande vilão.



Medicamento é a única opção para tratar criança com doença respiratória

Mito.
 Tanto para resfriados e gripes quando para bronquiolites, existem duas medidas muito importantes: lavagem nasal e inalação com soro fisiológico. Elas podem ser feitas várias vezes ao dia e são muito efetivas. Siga sempre as orientações do pediatra da criança.



Passeios a lugares fechados e brincadeiras ao ar livre podem causar problemas nesta época

Mito. Não é necessário mudar a rotina da criança. Dê preferência a passeios em lugares abertos, mas não é necessário proibir lugares fechados, apenas ter mais cuidado. Lembre-se que esse contato da criança com infecções é que vai ajudar a amadurecer o sistema imunológico, sem contar os benefícios para o desenvolvimento cognitivo e social.



Abaixo, confira algumas medidas que ajudam a prevenir infecções nas crianças:


 




  • Lavar as mãos frequentemente, antes de comer, depois de usar o banheiro, depois de tossir ou espirrar, quando chegar da escola ou após brincar. Na presença de um adulto ou se a criança for maior, é possível usar álcool gel na higienização das mãos

     

  • Evitar ficar tocando partes do rosto, como boca, olhos e nariz

     

  • Cobrir tosses e espirros com lenços ou com o antebraço e não com as mãos

  • Evitar contato com pessoas doentes

     

  • Manter hábitos saudáveis: dormir bem, beber bastante água, comer verduras, legumes e frutas e praticar atividades físicas

     

  • Não compartilhar itens pessoais como escovas de dente, talheres e copos

     

  • Vacinar contra o vírus Influenza

     

  • Escolher escolas com menos alunos por turma e bem ventiladas

     

  • Não expor crianças a fumaça de cigarro. Os filhos de fumantes adoecem duas vezes mais

     

  • Levar a criança ao pediatra periodicamente, mesmo que esteja bem


Veja também