18/06/2019

Notícia/Colunista

Por Doutor Tássio Alvarenga Lopes: Pais rivais, quando a boa árvore dá fruto mau!

Foto: Dr. Tassio Alvarenga Lopes

Falar de ser humano é falar sobre diversidade. Existem pessoas de todos os tipos resultado das diferentes combinações de temperamento e caráter. Há pessoas boas e más, tímidas e extrovertidas, paranoicas e não paranoicas, dramáticas e equilibradas e ansiosas e calmas. A questão central é que cada um destes tipos específicos de gente pode ter filhos e, conforme cada personalidade dos progenitores, seus herdeiros podem sofrer ou não.

Espera-se dos pais carinho, atenção, companheirismo, zelo, cuidado e orgulho de seus filhos, mas, nem sempre é assim que a vida transcorre. Existem pais que se tornam verdadeiros rivais dos filhos. Tratam os mesmos como concorrentes pelo espaço familiar e social, não estendem a mão quando seus filhos precisam de algo, são críticos em demasia aos comportamentos deles e são capazes de chegar a atitudes de prejudicar o sucesso dos mesmos. Pais rivais rejeitam um ou mais filhos de uma prole de herdeiros e, expõem, claramente sua preferência por um ou outro. São incapazes de tratar com imparcialidade os seus filhos, e o tratamento desigual e injusto gera brigas e contendas entre os irmãos.

A rejeição de um pai ou de uma mãe está na gênese de transtornos mentais graves nos filhos rejeitados. Imagine como ficam os pensamentos de um jovem que recebe ódio de uma arvore que tinha que dar frutos de amor! A baixa autoestima se enraíza nos corações destes filhos. Uma sensação de culpa toma conta da cabeça dos mesmos. Depressão, ansiedade, fobias, transtornos de personalidade e uso de drogas são doenças de ampla prevalência neste grupo. 

E qual a explicação para pais rejeitarem filhos e os tratarem como inimigos, mesmos sendo "sangue do seu sangue"? Na maioria das vezes são pais que se enquadram em um tipo específico de pessoas -  o tipo narcisista! indivíduos narcisistas são marcados por um padrão doentio de comportamento que traz sofrimento aos seus familiares e amigos. Caracterizam-se por serem os "donos da verdade", sabem de tudo, consideram -se superiores aos demais e portadores de atributos e grandes qualidades, não se enxergam errados em nada e sem defeitos, só aceitam posições de destaque e só se relacionam com outras pessoas que estejam ao seu "nível". As pessoas narcisistas tendem a ser más, desprovidas de empatia e não se ressentem de ofender e maltratar os outros. Quando tem filhos é comum que rejeitem e tratem com desprezo um ou mais filhos. Ignoram os herdeiros que não se pareçam fisicamente com eles, que tenham qualidades superiores às deles, que se destaquem mais na família ou na sociedade do que eles e que tenham ideias diferentes às deles. Enfim vão amar e apoiar os filhos que estiverem "à sua altura" ou " que não sejam risco ao seu prestígio".

Triste realidade! infeliz do pai ou da mãe que não tem a amizade de seu filho. Arvore boa precisa sempre dar bom fruto. Pais narcisistas precisam procurar ajuda psicológica para curar esse câncer em suas almas. E deixo um conselho para os filhos vítimas de pais narcisistas - procurem ajuda de um psicólogo, tratem seus transtornos mentais com um psiquiatra, esforcem-se ao máximo para alcançarem sua independência profissional e pessoal e não esperem o orgulho e reconhecimento destes pais, afinal de fonte seca não se pode esperar água fresca.

autor

DR. TASSIO ALVARENGA LOPES

CRMMG 47.499 RQE 34.293

PSIQUIATRA COM FORMAÇÃO EM MEDICINA PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA E RESIDENCIA MEDICA EM PSIQUIATRIA PELO CENTRO HOSPITALAR PSIQUIÁTRICO DE BARBACENA DA FUNDAÇÃO HOSPITALAR DE MINAS GERAIS.

 

RUA MAJOR JOSE GALDINO, 133 CENTRO CAMPO BELO MG

3831 - 1224 

99906 - 1224

Veja também