18/06/2019

Notícia/Região

Homem que teria sido executado por 'Tribunal do Crime' estuprava a filha de 3 anos, diz polícia

A Polícia Civil já identificou os suspeitos de executar um homem em Alfenas (MG) no fim de semana. A vítima teria sido morta porque estuprava a filha de 3 anos. Segundo a polícia, a vítima foi submetida ao chamado “tribunal do crime”. Imagens da execução foram parar nas redes sociais.

O homem executado foi identificado como Ueslei Vitor Portugal, de 29 anos. Um vídeo divulgado pela polícia registrou o momento da execução. Através das imagens, a polícia identificou dois suspeitos.

"Com base nessas imagens, conseguimos identificar a vítima, um morador de um conjunto de prédios da cidade e diligenciamos o dia todo, conseguimos localizar o local que ele foi enterrado", disse o delegado Márcio Bijalon.

A MATÉRIA CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE:

  

A vítima era casada e tinha dois filhos. Toda a comunidade estava revoltada depois de saber pela avó das crianças que a filha de 3 anos era violentada pelo próprio pai desde os 6 meses de idade.

Homem que foi executado morava em conjunto de prédios em Alfenas — Foto: Reprodução EPTV

Homem que foi executado morava em conjunto de prédios em Alfenas — Foto: Reprodução EPTV

Uma mulher que não quis se identificar, disse que na noite do crime acontecia uma reunião para decidir o que seria feito no caso.

"Os meninos foram atrás dele falando que já sabia o que ele fazia, e ele falou que não. Aí falou pra ele: 'Não, a gente te dá uma oportunidade, a gente vai pegar sua filha e levar para fazer exame. Se constatar, a gente vai te matar. Aí os meninos já pegou ele (sic), e aí ele já não voltou mais. Aí surgiu isso que mataram ele", disse a mulher.

A ex-mulher de Ueslei foi procurada pela polícia, no mesmo conjunto habitacional onde ele morava, mas a porta estava trancada.

Através das imagens, a polícia já identificou dois suspeitos. "Já temos pistas dos autores, questão de tempo até identificar eles e pedir a prisão", completou o delegado.

PUBLICIDADE:

Veja também