18/06/2019

Notícia/Região

Nível do Lago de Furnas está 2,6 metros acima do que mesmo período de 2018

Foto: Lucas Soares / G1

Dados do monitoramento dos reservatórios feito pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) mostram que o nível do Lago de Furnas está 2,6 metros acima do que o registrado no mesmo período do ano passado. Conforme os últimos números divulgados, o nível do lago está em 760,7 metros acima do nível do mar, o que corresponde a 47,86% do volume útil.

Para efeito de comparação, nesta mesma época, em 2018, o nível do lago estava em 758,1 metros acima do nível do mar, o que corresponde a 32,09% do volume útil.

Essa melhora está diretamente ligada ao nível de chuvas registradas de janeiro até abril, que é o período mais chuvoso do ano. Desde o dia 1º de janeiro, o nível do reservatório subiu 3,8 metros.

A matéria continua após a publicidade:

Lago registrou pico de vazão afluente de 1.208 metros cúbicos por segundo na última quinta-feira (18). — Foto: Lucas Soares / G1

Lago registrou pico de vazão afluente de 1.208 metros cúbicos por segundo na última quinta-feira (18). — Foto: Lucas Soares / G1

Na semana passada, o Lago de Furnas registrou o pico para o mês de abril de vazão afluente, ou seja, o volume de água que entra no lago em decorrência das chuvas. O G1 registrou um grande volume de água entrando no lago devido à alta do nível do Rio Muzambo, entre Areado e Alterosa e do Rio do Peixe, entre Areado e Alfenas. O aumento do nível inclusive levou pescadores para os locais, algo raro com a queda registrada nos últimos anos.

A matéria continua após a publicidade:

Na quinta-feira, dia 18 de abril, o lago registrou pico de vazão afluente de 1.208 metros cúbicos por segundo no lago. O recorde do ano é do dia 6 de março, quando entraram no lago um volume de 1.857 metros cúbicos por segundo de água.

Atual nível do Lago de Furnas está em 760,7 metros, o que corresponde a 47,86% do volume útil. — Foto: Lucas Soares / G1

Atual nível do Lago de Furnas está em 760,7 metros, o que corresponde a 47,86% do volume útil. — Foto: Lucas Soares / G1

Veja também